carro elétrico

Vantagens de ter um carro elétrico

Além de todas as vantagens, o veículo elétrico é muito mais confiável, durável e com baixo custo de manutenção.

Nossos produtos

Visite nossa loja virtual

Agora esta a sua disposição um conteúdo explicando passo a passo como fazer a conversão

Mais informações

Idealizador do projeto

Ligue agora e converse com o Engenheiro idealizador do projeto (Elifas Gurgel)

Você que sempre teve vontade de saber como se converte um veículo poluidor em não poluidor, poderá fazer parte deste projeto em defesa da vida no planeta. Afinal, carro elétrico é uma opção pela vida!

Por que o carro elétrico?

Além da preservação do meio ambiente e da consciência ambiental por parte da comunidade mundial, o carro elétrico apresenta uma série de vantagens, dentre elas, podemos citar:

  • Maior economia de dinheiro – você economiza até 80% do que você gasta hoje com álcool ou gasolina
  • Silêncio absoluto
  • Zero emissão de poluentes
  • Manutenção muito mais simples
  • Redução ou dispensa do pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores – IPVA

Perguntas e Respostas

Um carro elétrico é caracterizado por ser movido apenas por motor a eletricidade.

O carro híbrido é movido por duas fontes de energia, uma das quais é a eletricidade. Muitos carros elétricos são movidos a gasolina e a eletricidade, como o Toyota Prius.

Para ser considerado híbrido, um carro precisa ser movido utilizando as duas fontes de energia ou complementarmente uma fonte e a outra. No carro híbrido tanto o motor elétrico como o motor a gasolina o impulsionam, mesmo que em momentos distintos.

O Chevrolet Volt, por exemplo, embora possua um motor a gasolina, não é hibrido, pois este motor é utilizado apenas para gerar energia para carregar o banco de baterias do carro, aumentando assim a sua autonomia.

Como ocorre com a maioria das decisões em construir um carro elétrico, isto depende do que você quer do seu carro elétrico. Este assunto consta em todas as listas de discussões quando se fala em carros elétricos.

Os sistemas da CA tendem a ser mais caros, mas são ligeiramente mais eficientes, e incorporam facilmente o freio regenerativo. A maior parte dos sistemas da CA exige o uso de um banco de baterias com uma tensão maior (216 VDC ou mais). A maioria de sistemas da CA incorporam todos os componentes eletrônicos em uma única caixa, tornado a solução mais simples.

Atualmente os sistemas de CC são mais baratos. A substituição das escovas do motor, operação relativamente fácil, necessária nos motores de CC e normalmente realizada aos 100.000 km, pode ser feita em poucos minutos. Nos sistemas de CC os componentes de alta ou baixa tensão podem ser usados. É relativamente difícil incorporar o freio regenerativo no motor de CC (embora possa ser feito).

A diferença mais discutível está no desempenho. Enquanto os motores de CC têm o seu melhor torque em baixas velocidades, os motores de CA têm o seu melhor torque nas velocidades mais elevadas. Os motores de CA desenvolvem rotações superiores aos motores de CC, o que pode eliminar a necessidade de uma caixa de mudanças e facilita o uso de uma caixa com uma única velocidade. O exemplo deste tipo de transmissão, única marcha, é o carro Tesla, fabricado pela Tesla Motors. Neste caso, a marcha à ré, é feita eletronicamente. O carro ideal teria um motor de CC para as baixas velocidades e um motor CA para as altas velocidades.

Não é recomendado. O problema é que as novas têm uma capacidade diferente das velhas. Carregam tensão diferente, e drenam correntes diferentes ao carregar. Assim, se você carregar um banco de baterias misturadas (velhas e novas) com um carregador simples em série, as velhas serão muito sobrecarregadas, e as novas receberão pouca carga. Isto compromete a vida útil de todo o banco de baterias.

A diferença se evidencia geralmente como um desequilíbrio no banco de baterias, que exige uma gerência ativa. As baterias seladas são muito menos tolerantes.

As baterias mais velhas terão provavelmente menos capacidade do que as mais novas. O resultado disso se traduz em menos capacidade de todo banco de baterias, uma vez que capacidade do banco de baterias é determinada pela capacidade da bateria mais fraca. Você só deve misturar baterias velhas com novas, em caso de defeito em uma das baterias do banco de baterias. Mesmo assim, você deve procurar uma bateria que esteja em condições semelhantes às que estão no banco de baterias.

Para resumir, evite-o se você puder, mas se você não puder evitar, tome os devidos cuidados para monitorar individualmente cada bateria buscando o melhor equilíbrio entre elas para que o banco de baterias tenha uma longa vida útil.

Não. O câmbio automático não pode ser utilizado em virtude da necessidade da manutenção do sistema de pressão do óleo na caixa automática

A autonomia de um carro elétrico varia em função do tipo e especificações do banco de baterias, da forma de conduzir o carro e da declividade da via. Em média, a autonomia de um carro elétrico movido a baterias de chumbo ácido é de 50 km. A autonomia de carros que utilizam baterias de íon de lítio a autonomia média é de 100 km. No caso do Gol convertido para elétrico mostrado nesse site a autonomia é 150 km.

O tempo de carga do banco de baterias depende da tecnologia empregada na fabricação das baterias. Pode variar de 8 horas, para baterias de chumbo-ácido, a 10 minutos, para baterias que utilizam a nanotecnologia.

Informações

© 2018 – Meu Carro Elétrico – Todos os direitos reservados